Gastronomia

A CULINÁRIA SUÍÇA

A culinária da Suíça é o conjunto de pratos, produtos, doces e práticas culinárias tradicionais da Suíça. É grandemente influenciada pelos países geograficamente vizinhos e culturalmente próximos, como a França, a Alemanha, a Itália, a Áustria e Lichtenstein. Os primeiros relatos conhecidos de desenvolvimento de uma culinária tradicionalmente Suíça se deram no Século XII ao Século XIV, com o início da produção do queijo Ementaler por pequenos agricultores e fazendeiros na região de Emmental em Berna. Os principais pratos, ingredientes e práticas usados na culinária e gastronomia suíça são o chocolate suíço, a batata, os queijos e o fondue.

A alta gastronomia suíça é historicamente reconhecida internacionalmente, acumulando mais de 100 estrelas no Guia Michelin em 2013 e sendo divulgada por chefs de cozinha como Oscar Tschirky e Benoît Violier. Em 2015, o restaurante do Hôtel de Ville Crisier da cidade de Lausanne, foi apontado pelo ranking francês La Liste como o melhor restaurante do mundo e a Suíça foi indicada pelo Guia Michelin como o país com o maior número de restaurantes gourmet per capita do mundo. Empresas suíças de alimentação como Nestlé, Nescafé, Lindt & Sprüngli e o chocolate Toblerone também são apontados como difusores da culinária e produtos alimentícios suíços pelo mundo.

(FONTE: Wikipédia)

(FOTO: LA RACLETTE, spécialité valaisanne de formage fondu ao feu de bois.)


BATATA NO TOUCINHO DE ARGOVIA

Ingredientes 

1 colher de açúcar
250 gramas de toucinho defumado
250 gramas de batatas
50 gramas de manteiga

Modo de Preparar 

Deixar as batatas em água fria durante 6 horas; derreter em uma caçarola a manteiga e o açúcar, juntando as batatas secas e o toucinho; acrescentar um pouco de água e deixar cozinhar durante 1 hora; juntar às batatas salsichas e ainda cozinhar por ½ hora.

 

(Receita extraída dentre as Receitas Suíças do site \\\\\\\"Portal São Francisco\\\\\\\", que traz a culinária de muitos países.)


BATATA ROSTI com Queijo Gruyère

INGREDIENTES

-450g de batatas escovadas com casca;

-1/2 cebola finamente picada;

-1/2 colher de chá de sal;

-1/4 de colher de chá de pimenta;

– 02 colheres de sopa de manteiga;

- 01 xícara de queijo Gruyère ralado (115g).

 

MODO DE PREPARO

 1) Numa panela tampada, cozinhe as batatas, com casca, até ficarem um pouco macias, mas não desmanchando, ainda firmes. Escorra e deixe esfriar. Leve à geladeira por 12 a 24 horas, deixando-as descobertas.

2) Descasque as batatas e rale grosseiramente. Coloque numa bacia e misture a cebola, o sal e a pimenta.

3) Numa frigideira antiaderente, aqueça 2/3 da manteiga e coloque a mistura, preenchendo o fundo, apertando muito delicadamente com uma espátula. Cozinhe por 10-12 min, até que o fundo esteja dourado.

4) Coloque um prato sobre a frigideira e delicadamente vire o “disco” de batata sobre ele.

5) Adicione o resto da manteiga na frigideira e com muito cuidado deslize a Batata Rosti sobre ele, com o lado cru para baixo. Agora cozinhe por cerca de 6 min, até que o fundo fique dourado.

6) Deslize para o prato em que será servida e cubra com o queijo gruyère. 


BIRCHERMÜESLI

O nome pode parecer um pouco estranho, como de uma receita muito elaborada, mas, o Birchermüesli trata-se apenas do típico café da manhã suíço. A receita contém cereal, aveia, suco de limão, leite condensado, maçãs ou outros frutos secos.

Normalmente em pousadas e hotéis, ele é preparado na noite anterior para servir aos hóspedes pela manhã, sempre acompanhado de iogurte.

(FONTE: Site Quero Viajar Mais)


CHOCOLATE SUÍÇO

O chocolate suíço não poderia ficar de fora da lista uma vez que, assim como o queijo suíço, ele é reconhecido mundialmente pela qualidade. Por conta disso, o chocolate é mais que um item da gastronomia local, é uma atração à parte. Há diversas marcas com sabores bastante variados com lojas e fábricas distribuídas ao longo do território.

O tour para conhecer e degustar chocolate, com ar de suspense, conta a história do cacau e do chocolate, desde as origens com os astecas, no México e depois passa por diversas salas que recontam a história. Pasmem: os ambientes são aromatizados com cheirinho de chocolate! Uma dica é dividir com alguém para conseguir provar mais opções.

(FONTE: Site Quero Viajar Mais)


CREME DE ABRICÓ

O abricó, que alguns identificam como damasco (o que é um equívoco) exerce um certo fascínio entre os valesanos, com presença marcante na sua culinária. É empregado como sobremesa, em tortas, cobertura de bolos, em caldas, em mousses, confeitos ou com fruta seca e eau-de-vie (aguardente).

Originário do Oriente, é a fruta por excelência do Valais, única região que o produz na Suíça e onde é colhido entre meados de Julho e começo de Agosto. A pequena Saxon é considerada sua \"capital\".

O CREME DE ABRICÓ é receita obetida no Boletim da Associação dos Descendentes Valesanos do Paraná. 

INGREDIENTES: 2 ABRICÓS, AÇÚCAR, 3 GEMAS, ABRICOTINE (licor de damasco) e CHANTILLY.

MODO DE PREPARO: Descascar e cortar os abricós em pedaços, cozinhá-los com um pouco de água e uma colher de açúcar; depois de cozidos fazer um purê e deixar esfriar. Bater as 3 gemas com um pouco de açúcar e colocar essa mistura em banho-maria até que se forme uma espuma. Juntar o purê com as gemas e com o abricotine. Gelar e, pouco antes de servir, acrescentar chantilly ou nata batida. Servir sobre bolos ou como acompanhamento de sorvetes. 


CROISSANT (gipfeli)

Não retorne da Suíça sem comer o máximo de croissants (gipfeli). O prato costuma ser bem barato (cerca de um ou dois francos) e é encontrado em cafés, mercados e diversos lugares.

Há versões salgadas e doces, com recheio de abacaxi, creme e claro: chocolate. Todavia, a versão tradicional sem nenhum tipo de recheio também é muito saborosa e difícil de ser reproduzida, por isso, aproveite.

(FONTE: Site Quero Viajar Mais)

 


CURIOSIDADES SOBRE A CULINÁRIA SUÍÇA

A culinária suíça tem muito sabor e, para os suíços, é importante ingerir alimentos que tenham certa qualidade nutricional.

Por isso, a maioria dos produtos possui poucos corantes. A Fanta Laranja, por exemplo, tem uma cor muito diferente da vendida no Brasil. Além disso, a quantidade de açúcar utilizada no preparo dos itens costuma ser baixa. Iogurtes, sorvetes, cereais, em diversos itens, o adocicado chega a ser imperceptível.

Em relação às frutas, usadas no Fondue de Chocolate, prepare-se para consumir produtos diferentes. É que, como o clima da Suíça é bastante distinto do brasileiro, o preço das frutas costuma divergir bastante daquele que se encontra no Brasil.

Outra diferença é em relação às carnes. A bovina é cara e as alternativas são as carnes de porco e até de cavalo. Nos mercados, inclusive, há bandejas com bifes de cavalo. Então, preste atenção caso vá fazer suas compras, afinal, a língua contendo as informações da bandeja pode ser alemão, francês, italiano ou romanche (dependendo da região que estiver).

(FONTE: Site Quero Viajar Mais)


FONDUE

Se fosse necessário escolher apenas um prato da Suíça na Europa para falar sobre a culinária local, o fondue seria o eleito. A receita tradicional é produzida com uma mistura de queijos típicos do país, vinho branco e especiarias. Tradicionalmente, o prato é acompanhado de batatas e pães, mas nas versões mais modernas os acompanhamentos podem variar um pouco.

O fondue é encontrado em todas as regiões do país. E, ainda que a versão de queijo seja a mais consumida também há a opção doce, com base de chocolate. Este fondue é acompanhado de diversas frutas, geralmente as da época.

(FONTE: Site Quero Viajar Mais)


FONDUE AU TOMATE

Fondue au Tomate


\"No Cantão de Valais há uma fondue pouco conhecida por aqui. Chama-se Fondue ao Tomate. É menos romântica, mais do cotidiano. Aprendemos lá na Suíça e, às vezes, minha esposa faz aqui. Liquidifica umas 2 ou 3 cebolas com dente de alho, frita tudo na manteiga até secar. Tira a pele de quatro tomates bem maduros, liquidifica e põe nas cebolas. Ferve um pouco e acrescenta o Queijo de Fondue até se tornar cremoso. Paralelamente, ferve batatas com a casca e leva-as à mesa com a Fondue. Cada um dos comensais descasca a batata, esmaga e mistura com o creme da Fondue. Sal e pimenta a gosto. É uma delícia e uma refeição completa. Claro que um vinho branco seco sempre é bem vindo\".

Bom proveito. Adonis Valdir Fauth.


GÂTEAU AUX FIGUES

 Massa

 500 g de farinha de trigo

1 ovo

1 colher (sopa) de açúcar

1     “          “     de gordura

1     “          “     de fermento seco

1     “      (chá)  de sal

-          água para dar o ponto

 

 Cobertura

 -          figos maduros - o suficiente para cobrir com camada de 2 cm

-          açúcar e farinha de trigo – para polvilhar

-          gordura vegetal – para salpicar

 

 Modo de Fazer:

 Misturar o fermento com a farinha e após juntar os demais ingredientes. Amassar e deixar crescer até dobrar de volume (como massa de pão). Estender a massa, em forma bem untada, com espessura de 1 cm. Cobrir com duas camadas de figos, descascados e partidos ao meio. Polvilhar bem com açúcar e farinha e salpicar com gordura vegetal. Deixar crescer um pouco e levar ao forno quente (180º) por aproximadamente 40 minutos. Obs: Colocar em forma funda para evitar que a cobertura derrame durante o cozimento.

 

(Fonte: Maristela Dalmas Canal e Ignez Gedoz Canal)


MERVEILLE

Ingredientes:

3 ovos

3 colheres (sopa) de azeite

5        “           “     de açúcar

3        “           “     de graspa (cachaça destilada do fermentado de uva)

1        “       (chá)  de fermento em pó

1 xícara de água

1 pitada de sal

farinha de trigo para dar o ponto

 

Modo de Fazer:

Bater os ovos com o açúcar e o sal, após juntar a graspa, o azeite e a água. Acrescentar o fermento e a farinha até a massa ficar dura. Deixar a massa descansar por aproximadamente 8 horas. Após o descanso, abrir a massa bem fina, cortar em retângulos e fritar em gordura bem quente. Logo após a fritura (ainda quentes) polvilhar com açúcar fino e canela em pó.

(Fonte: Maristela Dalmas Canal e Ignez Gedoz Canal)


QUEIJOS

Além de ser base para a maioria das receitas do país, o queijo em si também é um prato típico da Suíça. São  diversas as variações e estilos.

Para se ter uma ideia, há 100 fábricas do tipo Gruyère.

Além deste queijo, há muitas outras opções por todo o país. Estima-se que existam cerca de 400 tipos diferentes em toda a Suíça. Depois de provar e conhecer mais sobre o Gruyère, outras boas opções são o Emmental (típico dos desenhos, aquele queijo com furinhos) e o picante Appenzeller.

Uma dica imperdível: se tiver uma oportunidade de conhecer uma feira de produtos locais não deixe de experimentar queijos artesanais suíços.

(FONTE: Site Quero Viajar Mais)


RACLETTE

LA RACLETTE, spécialité valaisanne de formage fondu ao feu de bois.

A raclette, assim como o fondue, tem como base o queijo. O nome do prato deriva de um verbo que significa “raspar” e em tese é isso mesmo o que acontece. Na receita, derrete-se o queijo e ele é servido no prato, na verdade, raspado nos pratos. É tão bonito quanto delicioso.

No geral, o prato de raclette é acompanhado de alguns legumes da época, salames e batatas. A raclette é um prato que remete ao coletivo, a “comunhão”. Por isso, raramente um suíço come raclette sozinho, este é um prato para ser compartilhado.

(FONTE: Site Quero Viajar Mais)


RIVELLA

A Rivella é a bebida mais tradicional do país, uma espécie de refrigerante produzido com o soro do leite. Mas, não se assuste, o sabor não lembra em nada o leite em si. Existem diversas versões, sendo que a tradicional tem um sabor que remete mais a algo frutado.

O preço da Rivella se assemelha aos demais refrigerantes, todavia, por ser produzida com o soro do leite ela tem uma vantagem: o cálcio, algo muito interessante para um refrigerante. Dentre as versões encontram-se a tradicional, com baixo teor de açúcar, sem lactose e chá verde.

(FONTE: Site Quero Viajar Mais)


RÖSTI

Ainda que a maioria dos produtos vendidos no Brasil como sendo “suíços” não sejam encontrados no país europeu, como “limonada suíça”, a Rösti é uma exceção à regra.

A receita suíça se assemelha em certos pontos à vendida em restaurantes brasileiros, mesmo assim, experimentar um prato autêntico produzido por restaurantes locais deve ser uma das experiências gastronômicas da viagem.

A receita consiste em uma espécie de bolinho de batata com casca, sendo algumas versões cozidas, porém, tradicionalmente, fritas em manteiga ou gordura. Curiosamente, esse prato é bastante consumido por nativos no café da manhã.

Existem diversas opções de acompanhamentos, mas, a principal, sobretudo na região de Zurique é a carne de vitelo com molho de vinho branco e cogumelos (geschnetzeltes)

(Fonte: Site Quero Viajar Mais) 

 

OUTRA DEFINIÇÃO

Originária do Cantão de Berna, consiste - dependendo da receita - de batata crua ou cozida ralada que é fritada em manteiga ou outro tipo de gordura (com ingredientes adicionais como cebolatoucinhoqueijolegumes, pedaços de maçã etc.) na forma de uma panqueca aberta.

O termo Rösti refere-se também a produtos que, uma vez preparados, ficam dourados e crocantes. 

(Fonte: Wikipédia)


SCHNITZEL

O Schnitzel é feito com um bife bem fino empanado com farinhas, ovo e pão, e depois frito, ou seja, um “bife à milanesa”. Mas, diferentemente dos encontrados no Brasil, a receita tradicional suíça é produzida com carne de vitelo ou, para economizar dinheiro, com carne de porco.

Dessa receita, originou-se também o Cordon Bleu, bastante presente na culinária do país. Esse outro prato é produzido com duas fatias de carne enroladas de uma forma em que é possível recheá-la com presunto cozido e claro, queijo. O queijo do recheio varia conforme a região do país, o mais comum para a receita costuma ser o Emmental.

(FONTE: Site Quero Viajar Mais)


asvb@asvb.com.br


© 2015 - 2021 Associação Suíço-Valesana do Brasil - admin